Segundo caso de gripe em ave é confirmado no estado

Published on

 


Não há registro de transmissão para humanos no estado


|  Foto:
Agência Brasil/ Wilson Dias


  

A Secretaria Estadual de Saúde informou sobre o segundo caso de gripe aviária, registrado na Praia de Tamoios, em Cabo Frio, na Região dos Lagos, na quarta-feira (24). Segundo o órgão, uma ave silvestre foi resgatada pela equipe da Ambipar (empresa especializada em gestão ambiental) após realização de exames de monitoramento que confirmaram a contaminação do vírus H5N1. Ainda de acordo com a Pasta, não houve exposição de pessoas à ave contaminada e não há registro de transmissão para humanos no estado.

As autoridades estaduais disseram que intensificaram as ações de monitoramento e prevenção para evitar a disseminação do vírus no estado. Nesta quarta-feira (24), a Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento divulgou o plano de contingência que estabelece medidas de controle para detectar precocemente e conter a disseminação da influenza aviária em aves domésticas, silvestres e exóticas. O documento também estabelece o fluxo de informação entre os órgãos envolvidos por se tratar de zoonose com potencial pandêmico.

A Secretaria Estadual de Saúde, por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), já estrutura também um painel de monitoramento da influenza aviária será instituído um fluxo de comunicação com a Secretaria de Agricultura para informar qualquer mortalidade de aves suspeitas, assim como pessoas com suspeita de síndrome gripal com histórico de contato com aves suspeitas.

Os técnicos das Secretarias ressaltam, no entanto, que não há motivos de preocupação da população sobre epidemia de H5N1, pois no momento não há transmissão direta, de pessoa para pessoa. É importante lembrar que a doença não é transmitida pelo consumo de carne de aves e nem de ovos. As infecções humanas pelo vírus da influenza aviária ocorrem por meio do contato direto com aves infectadas (vivas ou mortas). 

Em Cabo Frio, o recolhimento da ave foi feito por técnicos, que notificaram o Serviço Veterinário Oficial (SVO). O órgão fez a coleta de amostra e envio ao Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA-SP), que fez a análise.

PRIMEIRO CASO NO NORTE FLUMINENSE

A Secretaria Estadual de Saúde mantém ainda o monitoramento em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, para onde foi levada a ave encontrada em São João da Barra. Quatro pessoas que apresentaram sintomas respiratórios foram testadas para H5N1, e os resultados foram negativos. Por precaução, o monitoramento dura 10 dias.

Na segunda-feira (22), o Ministério da Agricultura decretou emergência zoosanitária em todo o território nacional, que tem como objetivo evitar que a doença chegue à produção de aves de subsistência e comercial, além de preservar a fauna silvestre e a saúde humana.

A Secretaria Estadual de Saúde orienta também ainda que profissionais das unidades de saúde sigam atentos, durante a triagem e o atendimento médico, a casos de síndrome gripal em pacientes que tiveram contato com animais silvestres.

Havendo suspeita, a coleta de amostras é recomendada, independentemente do dia de início dos sintomas, incluindo os casos em unidade de terapia intensiva (UTI). O diagnóstico por RT-PCR é considerado o método padrão-ouro e deve sempre ser adotado para obtenção dos resultados laboratoriais. 

ORIENTAÇÕES BÁSICAS

A Secretaria de Agricultura alerta que a população evite contato direto com aves caídas, mortas ou não, domésticas, silvestres/exóticas e migratórias, além de mamíferos aquáticos (qualquer espécie). Qualquer suspeita de animal contaminado deve ser comunicada imediatamente ao Núcleo de Defesa Agropecuária da região ou à Coordenação de Vigilância Ambiental do seu município.

A Secretaria de Agricultura aconselha criadores de aves de corte ou postura, avicultura de pequena escala e subsistência, que intensifiquem as medidas de biosseguridade das granjas. Devem ser tomados cuidados como proibir terminantemente qualquer tipo de visita às unidades de produção; conferir cercamento de núcleo e telamento adequado do galpão; manter o portão de acesso das propriedades fechado; desinfectar veículos em e materiais que acessem as granjas; ter cuidados com ração e água; manter registro de pessoas e veículos entre outras medidas definidas nas normas vigentes.

LEIA TAMBÉM

Guarani e Brusque tentam iniciar reação para sair da zona de rebaixamento da Série B

A briga pela parte debaixo da tabela será destaque nesta quarta-feira quando dois jogos...

Desfalcado e com volta de Ríos, Palmeiras tenta no Maracanã frear reação do Fluminense

O Palmeiras sobe ao gramado do Maracanã, no Rio, nesta quarta-feira, às 21h30 (horário...

Os maiores escândalos envolvendo famosos! De quantos você lembra?

Apesar de serem pessoas públicas e cautelosas com a imagem, várias celebridades não conseguiram...