Anvisa proíbe fabricação de mais sete pomadas modeladoras

Published on

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu cancelar a regularização de sete pomadas modeladoras para cabelos, pelo descumprimento de normas sanitárias vigentes. Desta forma, as empresas não poderão mais fabricar esses produtos. A medida divulgada na segunda-feira, 16, foi publicada na sexta-feira, 13. No ano passado, a Anvisa já tinha feito um alerta sobre relatos de efeitos adversos nos olhos provocados por cosméticos usados para modelar e trançar os cabelos.

Segundo a Anvisa, a decisão se soma à resolução publicada na quinta-feira passada, que cancelou a regularização da Pomada Modeladora para Tranças Anti-Frizz Be Black.

“Alguns dos produtos já tinham sido objeto de medidas restritivas no âmbito da sua comercialização e do seu uso. Com a medida atual, os produtos não podem mais ser fabricados”, disse a agência no comunicado.

A Anvisa também alerta que é importante que os consumidores fiquem atentos às recomendações de uso e às advertências contidas nos rótulos das embalagens de produtos para modelar cabelos.

Lista das empresas que estão proibidas de fabricar definitivamente os oito produtos:

Pomada modeladora para tranças anti-frizz – Be Black

25351.455863/2022-85

Cosmetic Group Indústria e Comércio de Cosméticos Eireli

Pomada Black – Essenza Hair

25351.251846/2022-71

Evolução Indústria de Cosméticos Ltda – Me

Pomada Modeladora para Tranças Boxbraids (Fixa Liss)

25351.174121/2022-51

Pomada Braids Tranças Poderosas Esponja Magic

25351.248601/2022-66

Microfarma Indústria e Comércio Ltda

Rosa Hair – Pomada Modeladora – Mega Fixação 150g

25351.586943/2021-09

Morandini Indústria e Comércio de Cosméticos Ltda – Me

Pomada Modeladora Master Fix Black Ser Mulher

25351.216343/2021-78

Supernova Indústria Comércio e Serviços Ltda

Devolução de produtos

Quem tiver algum produto especificamente fabricado pela Microfarma Indústria e Comércio Ltda deve entrar em contato com a empresa para verificar a forma de devolução. Da mesma forma, os estabelecimentos, como salões, também devem suspender imediatamente a utilização.

“As pessoas que usaram algum desses produtos devem lavar os cabelos com cuidado para que o produto não entre em contato com os olhos. Em caso de qualquer efeito adverso, devem procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo”, afirma a Anvisa.

Investigações

Para os produtos das outras empresas, a agência ainda está avaliando as ações sanitárias necessárias. “Ressalta-se que a Anvisa segue acompanhando todos os fatos relatados com relação às pomadas capilares e conta, também, com a atuação dos órgãos de vigilância sanitária dos Estados e municípios, de modo que todos os produtos envolvidos com os relatos de problemas de visão estão sendo investigados”, afirma.

Em 6 de janeiro, a Anvisa já havia determinado a proibição do uso, produção, distribuição e comercialização da Cassu Braids, uma pomada capilar usada para modelar e fixar penteados. O cosmético, da empresa Cassulinha Cabelos, é fabricado por outra organização, a Microfarma. Ele teve o uso barrado por causa de efeitos indesejáveis provocados nos olhos e também por irregularidades da fabricante.

Ainda no ano passado, a Anvisa também alertou sobre registros de efeitos adversos nos olhos provocados por cosméticos usados para modelar e trançar os cabelos. Uma das consequências apresentadas pela agência foi de cegueira temporária, considerado um efeito indesejável de nível grave.

A maioria das ocorrências foi relatada após o contato do produto, já aplicado no cabelo, com água de piscina e do mar.

O Estadão tenta contato com as fabricantes.

More like this

Menino de 6 anos é salvo de apartamento em chamas no Rio Grande do Sul; veja vídeo

Um menino de 6 anos de idade foi resgatado de um apartamento em chamas,...

Influenciadora digital agride mulher na rua em MG; veja vídeo

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra a influenciadora digital Ana Paula Marçal,...

Cientistas confirmam circulação de vírus mayaro em humanos em Roraima; entenda riscos

Um estudo realizado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) confirmou a circulação do vírus...