Youtube vai pagar por vídeos dos Shorts a partir de fevereiro

Published on

 


A plataforma irá permitir que os Shorts gerem receita de anúncio


|  Foto:
Divulgação

O YouTube anunciou, finalmente, a monetização dos vídeos “Shorts” da plataforma. Os criadores de conteúdo vão conseguir gerar receita com anúncios dos vídeos Shorts. A monetização começa a valer no dia 1º de fevereiro, após a plataforma já encaminhar a opção desde setembro de 2022.

De acordo com o portal “The Verge”, a mudança entra na atualização mais ampla do Programa de Parceiros do YouTube, que passa a exigir que todos os criadores aceitem os novos termos de contrato, querendo ou não ganhar dinheiro monetizar com os Shorts. O documento irá determinar os tipos de conteúdos que podem ir ao ar e também como o pagamento irá funcionar.

Até o momento, os criadores conseguem monetizar suas atividades dos Shorts com uma ferramenta, a exemplo do Super Charts e também com integração de compras. Além disso, outra forma de gerar receita era participar de um fundo dos criadores do próprio YouTube, mas isso tudo foi apenas durante um período. A monetização passa a ser direta, com receita de anúncios, algo que a plataforma já faz há anos com os vídeos já tradicionais. 

Como funciona a monetização?

De acordo com a empresa, os criadores de conteúdo não precisam aceitar a opção de monetização dos Shorts. O YouTube informou que irá introduzir um sistema modular com os termos do programa de parceiros. 

Os criadores têm até o dia 10 de julho para aceitar os novos termos. Caso não, eles perderão sua capacidade de monetização na plataforma.

O contrato com os Shorts permite que os criadores recebam uma parte da receita de “anúncios visualizados entre os vídeos no feed dos Shorts”. Há também um adendo para “produtos comerciais”, como assinaturas Super Chats, Super Stickers e Super Thanks.

More like this

UFC: Dana White anuncia aumento de bônus no UFC 300 para mais de R$ 1,5 milhão

O presidente do UFC, Dana White, anunciou aumento no valor do bônus do UFC...

Uso de canabidiol para tratar dependência de crack é melhor do que remédios convencionais, diz estudo

(FOLHAPRESS) - Um estudo pioneiro no Brasil demonstrou que o tratamento de usuários de...

Ricardo Nunes recua sobre instalação de 1,5 mil radares em São Paulo

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), vetou o aumento de radares eletrônicos...