Reitora da UFRJ vai comandar ensino superior no MEC

Published on

O ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou nesta sexta, 6, toda a sua equipe, com oito mulheres e três homens. Todos os nomes, com exceção da escolhida para a Fundação Joaquim Nabuco, foram adiantados pelo Estadão. A reitora da Universidade Federal do Rio (UFRJ), Denise Pires de Carvalho, será a secretária de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), e a ex-secretária de Educação de Manaus Kátia Schweickardt vai comandar a Educação Básica.

Denise, de 56 anos, foi a primeira reitora da UFRJ, uma das mais antigas universidades federais do País. A instituição fluminense também está entre as dez melhores instituições de ensino superior em rankings da América Latina.

“Fomos buscar professores de federais, com experiência, o que há de melhor nesse País”, disse o ministro, que enfatizou algumas vezes o fato de a maioria das escolhidas serem mulheres. Duas delas são negras. A já anunciada secretária executiva Izolda Cela era cotada para ser a ministra, mas a vaga acabou ficando com Camilo.

Apesar de nomes de deputados do PT terem sido cotados para os cargos, os anunciados são em geral acadêmicos e ex- secretários. Ao ser questionado sobre o ensino integral nas escolas, o ministro confirmou que pretende intensificar o número de escolas com mais tempo de aula, política que foi paralisada no governo de Jair Bolsonaro.

Órgão responsável pelo Enem e Capes têm chefias definidas

Manoel Palácios, ex-secretário da Educação Básica do MEC e coordenador geral do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (Caed/UFJF), vai assumir a presidência do Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep). Palácios foi um dos formuladores da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada em 2017, que são as diretrizes sobre o que as escolas devem ensinar hoje no País.

Graduado em Engenharia de Telecomunicações e com mestrado e doutorado em Ciências Sociais e Políticas, é um especialista em avaliações e comandava até então a entidade que é responsável por provas feitas por Estados e municípios pelo País. O nome era aguardado com ansiedade entre os servidores, cuja associação divulgou nota parabenizando o ministro pela escolha.

Há urgência para decisões sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2024, que precisa se adequar ao novo ensino médio, com provas gerais e específicas. O órgão viveu intensa crise na gestão Bolsonaro, com mais de 30 servidores que pediram demissão após denunciarem interferências e assédio da presidência no ano passado.

Capes

Para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Camilo anunciou a professora da Universidade de Brasília (UNB) Mercedes Bustamante. Graduada em Ciências Biológicas, com mestrado em Ciências Agrárias e doutorado em Geobotânica, é uma das grandes pesquisadoras de Cerrado do País.

Mercedes assume com o desafio de reajustar os valores defasados há mais de dez anos das bolsas de mestrado e doutorado do País. Durante do governo Bolsonaro, houve sucessivos cortes, em áreas como humanidades, e os pesquisadores chegaram a ficar sem receber o auxílio em dezembro.

“A equipe até aqui anunciada pelo ministro Camilo Santana é toda vinculada à formulação e gestão educacional, uma ótima composição, um contraste enorme com a gestão anterior”, disse a presidente executiva do Todos pela Educação, Priscila Cruz.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

More like this

Pai de Verstappen revela tensão na Red Bull e teme ‘racha’ como desdobramento do ‘caso Horner’

Christian Horner, chefe da Red Bull, tem deixado um clima tenso na equipe após...

Presidente da FIFA se opõe ao cartão azul

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A proposta de introduzir o cartão azul no futebol...

Homem rouba correntes de ouro, engole e é preso no mar em Salvador

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Um homem foi preso dentro do mar apontado como...