Vice-presidente do Volta Redonda, Flávio Horta Jr. fala sobre a expectativa do clube no Cariocão: ‘Honrar a tradição’

Published on

Faltando dez dias para a estreia no Campeonato Carioca, a equipe do Volta Redonda segue a preparação para a disputa do estadual. Carregando o ‘status’ de ser o clube com mais sucesso recente entre os times de menor investimento no futebol do Rio, o Voltaço viveu uma temporada diferente em 2022.

No Cariocão do ano passado, não conseguiu repetir os bons desempenhos de 2020 e 2021, quando alcançou as fases de mata-mata. O time ficou em último na tabela e foi rebaixado para a segunda divisão. Apesar disso, o regulamento trouxe esperança e permitiu o retorno à elite do Rio nesta temporada.

A disputa da Série A2 começa logo após o término da primeira divisão, no segundo semestre, já com a equipe que foi rebaixada. Com isso, o Volta Redonda jogou e conquistou o título, garantido o rápido acesso.

A nível nacional, o clube disputou a série C do Campeonato Brasileiro e recuperou as boas atuações. Conseguiu se classificar para a segunda fase e chegou na última rodada com chances de acesso para a série B do Brasileirão, mas ficou no quase.

Além disso, foi campeão também da Copa Rio, em cima da Portuguesa, e garantiu a vaga na Copa do Brasil. Em conversa com a Super Rádio Tupi, o vice-presidente Flávio Horta Jr. comentou sobre a última temporada e projetou o 2023 da equipe.

“A gente sempre faz o planejamento acreditando no melhor resultado, acreditando que está tomando as melhores decisões. Nós tivemos um campeonato muito difícil em 2022, nos trouxe muito aprendizado, e conseguimos recuperar o espaço que a gente perdeu no mesmo ano. Fizemos uma participação muito boa na Série C do Campeonato Brasileiro. Fomos até a última rodada depois de nos classificarmos em quarto lugar no geral brigando pelo acesso. Estamos conseguindo manter algumas peças do nosso elenco e buscando outras que a gente entende que possa nos atender e nos entregar um grande campeonato carioca.” – declarou.

Flávio Horta Jr, vice-presidente e Flávio Horta, presidente do Volta Redonda (Foto: Reprodução/Instagram VRFC)

Flávio destacou também o que espera dos quatro clubes de mais investimento.

“O Vasco e o Botafogo vêm com investidores, o Fluminense atual campeão e na Libertadores, o Flamengo atual campeão da própria Libertadores. Vai ser um campeonato tecnicamente muito difícil que a gente tem que procurar honrar o nome e a tradição do Volta Redonda na competição.” – disse.

Em relação ao elenco, ele acredita que é possível brigar na parte de cima. E além de relembrar as boas campanhas do clube, destacou a possibilidade de aproveitar os jogos em que os favoritos não utilizem seus elencos principais.

“A nossa ideia é montar um time para brigar em cima. Aproveitar as oportunidades que os grandes podem dar eventualmente fazendo algumas partidas com seus elencos que não sejam os principais e tentar aproveitar disso para repetir 2020 quando chegou na semifinal tanto da Taça Guanabara, quanto da Taça Rio. Em 2021, já com o formato atual, o Volta Redonda chegou na semifinal única, inclusive disputou a final da Taça Guanabara com o Flamengo no Maracanã. Então nossa ideia é buscar um time que possa brigar por cima na tabela e se possível conseguir buscar uma classificação que será ainda melhor para ajudar a projetar ainda mais o nome do Volta Redonda no cenário nacional” – finalizou.

O Volta Redonda estreia no Campeonato Carioca diante do Nova Iguaçu, no dia 14 de janeiro (sábado), às 15h30, no Laranjão.

The post Vice-presidente do Volta Redonda, Flávio Horta Jr. fala sobre a expectativa do clube no Cariocão: ‘Honrar a tradição’ appeared first on Super Rádio Tupi.

LEIA TAMBÉM

Seleção feminina perde do Japão e disputa 3º lugar na Liga das Nações de vôlei

Após uma campanha perfeita, com 13 vitórias em 13 jogos na Liga das Nações,...

Lando Norris desbanca Vertappen e conquista a pole no GP da Espanha de F-1

Lando Norris conseguiu superar um susto para conquistar a pole para o GP da...

Pais de criança com doença rara acionam Justiça para que União compre remédio de R$ 15 mi

PATRÍCIA PASQUINISÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A família de Murilo Gabriel Costa Nascimento, 4,...