Polícia arquiva casos de estupro envolvendo modelo Bruno Krupp

Published on

A Polícia Civil informou que encerrou os três inquéritos abertos contra o modelo Bruno Fernandes Moreira Krupp, de 25 anos, por estupro contra três mulheres. Segundo a delegada Alriam Miranda Fernandes, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói, as investigações foram relatadas com pedido de arquivamento e sem indiciamento do modelo, já que os supostos crimes ocorridos e relatados pelas vítimas seriam antigos, o que prejudicou a busca por provas. Krupp continua, no entanto, preso preventivamente após atropelar e matar o estudante João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, em julho do ano passado. 

“Os inquéritos foram relatados sem indiciamento por ausência de materialidade, ou seja, dos vestígios deixados pelos crimes. Nestes casos, o principal vestígio seria o laudo médico-legal, fornecido pelo IML. Quando o crime é noticiado muito tempo depois, os vestígios tendem a desaparecer, impossibilitando, via de regra, o indiciamento em sede policial”, explicou a delegada.

Relembre o caso:

O modelo Bruno Krupp foi acusado por uma jovem de 21 anos de ter sido estuprada por ele, em julho de 2022. Depois deste relato, ao menos 40 mulheres relataram nas suas redes sociais, que foram vítimas de violência sexual pelo rapaz. Em agosto do ano passado (2022), uma modelo de 28 anos procurou a Deam e informou ter sido vítima do mesmo crime, em setembro de 2016, em Niterói, no Rio de Janeiro. 

“Passei todos estes anos me sentindo culpada e envergonhada por tudo que aconteceu. Hoje, diante do atropelamento que matou um jovem inocente, me senti na obrigação de expor o crime do qual fui vítima justamente para encorajar outras mulheres a denunciarem, frear esses comportamentos por parte dele e evitar que outras pessoas também passem por situações semelhantes”, afirmou a modelo.

A modelo publicou seu relato completo nas redes sociais.

Além dos casos de estupro, Krupp foi preso após atropelar e matar João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, na Avenida Lúcio Costa, perto do Posto 3, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. O modelo pilotava uma moto em alta velocidade, quando atingiu o menor de idade que atravessava a rua com sua mãe. As imagens que circulavam na época mostravam o jovem esperando atendimento às margens da orla com um grupo de pessoas. Ele chegou a ser atendido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, local onde acabou morrendo.

Além desses casos, Krupp foi investigado pelo crime de estelionato. Ele foi acusado de enganar alguns hóspedes de um hotel em São Conrado, Zona Sul do Rio em 2021. A fraude é estimada em R$ 428 mil. Em 2022, um gerente do estabelecimento contou que diversos clientes do hotel tiveram seus cartões recusados. Quando informado, os hóspedes relataram que Krupp estava oferecendo diárias com preço menores do que o local.

Com isso, os clientes pagavam a conta para uma pessoa relacionada a Bruno. De acordo com o gerente, Bruno saiu do hotel sem pagar a hospedagem. O caso foi registrado na Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat).

LEIA TAMBÉM

Flick elogia garotos, mas pede a contratação de jogador decisivo ao Barcelona

Apesar da expectativa criada em torno de suas jovens promessas, como o atacante Lamine...

Netflix cresce o dobro do que projetava e chega a 277 milhões de assinantes em todo o mundo

(FOLHAPRESS) - Em carta para acionistas, a Netflix comemorou um crescimento acima do esperado...

Ministro confirma que Argentina mandou ouro do banco central para o exterior

(FOLHAPRESS) - Após dias de silêncio, o ministro da Economia da Argentina, Luis Caputo,...