‘Quero ficar com meu filho’, diz mãe de criança baleada na Baixada

Published on

 


Juan Davi e sua mãe, Beatriz de Souza


|  Foto:
Redes sociais

 

O menino Juan Davi de Souza Farias, de 11 anos, foi enterrado nesta segunda-feira (2). Familiares fizeram queima de fogos no Cemitério Municipal de Nilópolis, na Baixada. A criança foi encontrada pela família caída no chão na noite da virada, após ser baleada na varanda de casa, em Mesquita. 

Leia + Primo posta foto com menino morto em Mesquita: ‘Não acredito’

Leia + Menino de 11 anos morre baleado na virada em Mesquita, na Baixada

O velório começou por volta 11h e reuniu familiares e amigos do menino. Abalada, a mãe da vítima estava sob efeitos de remédios. Beatriz de Souza, após enterrar o filho, se negou a ir embora: “Meu Deus, me ajuda Senhor. Não quero ir embora. Quero ficar com meu filho”, disse, aos prantos. 

O primo de Juan Davi, Luis Felipe Alves, de 29 anos, contou que eles não ouviram barulho de tiro e que já haviam comemorado no local anteriormente, mas nunca aconteceu nenhum caso do tipo. 

“A gente não ouviu o disparo. Foi como se um vidro tivesse quebrado, a gente até achou que a garrafa de champanhe tinha quebrado e cortado ele, mas quando a gente viu que a garrafa estava inteira e ele no chão ensanguentado, quase sem vida, nós deduzimos que podia ser um disparo. Aconteceu na varanda. Sempre comemoramos ali, mas essa foi a primeira vez e a última que isso aconteceu porque agora não vai existir mais Natal e nem Ano Novo”, desabafou Luis Felipe.  

 

Quando a gente viu que a garrafa estava inteira e ele no chão ensanguentado, quase sem vida, nós deduzimos que podia ser um disparo. Sempre comemoramos ali, mas essa foi a primeira vez e a última que isso aconteceu porque agora não vai existir mais Natal e nem Ano Novo



Luis Felipe,

primo

  

O primo da vítima ainda explicou que Juan gostava muito de festejar e era por conta dele que a família sempre se reunia: “O motivo de tudo isso era ele. Ele sempre animava a gente pra fazer.” 

Os familiares usaram uma camisa em homenagem a Juan onde tinha uma foto dele com asas. Nas costas da camisa havia o dizer: “O amor será infinito. Tudo o que imaginei viver com você estará guardado no meu coração. Sei que agora está olhando pra gente aí de cima. Luto, meu anjinho Juan”. 

 


Familiares usaram uma camisa em homenagem a Juan onde tinha uma foto dele com asas

  

Investigação 

Segundo a Polícia Militar, policiais do 20°BPM (Mesquita), foram acionados para verificar a entrada de uma vítima de tiro na unidade. Os policiais foram informados sobre a morte de Juan já na unidade. A PM informou que, no momento em que Juan foi atingido, não havia operação no local. 

A ocorrência foi encaminhada à 53ª DP (Mesquita). O caso foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), que vai seguir com as investigações. Testemunhas estão sendo ouvidas e outras diligências estão em andamento para apurar a origem do disparo que atingiu Juan.

More like this

António Oliveira abraça o ‘corintianismo’ e muda ambiente em duas semanas

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O técnico António Oliveira se mostra bem à vontade...

Aprenda a limpar corretamente a tábua de corte e evite bactérias

tábua de corte é um item indispensável na cozinha, utilizado para cortar e preparar...

Família que fugiu da Ucrânia volta a perder tudo no incêndio de Valência

Um casal de ucranianos que deixou o país devido ao início da guerra e...